LogoUT

Substituição sustentável para filme plástico é tema de estudo

Wed Dec 05 12:24:00 BRST 2018
Amanda e Larissa durante a apresentação do projeto na Semana C&T do campus Araxá Amanda e Larissa durante a apresentação do projeto na Semana C&T do campus Araxá

A necessidade de substituição do plástico por material com propriedades semelhantes, porém mais sustentável, foi o fio condutor de pesquisa desenvolvida por alunas do curso de Engenharia de Minas do CEFET-MG Araxá. O trabalho desenvolvido por Amanda Luzia Santos Silveira, Larissa Caroline Silva e Amélia de Souza Corrêa, sob orientação do professor Mário Guimarães Júnior, ficou em 1º lugar geral na Semana de Ciência e Tecnologia (C&T) do campus.

Amanda explica que o intuito da pesquisa é produzir filmes, invólucros muito finos que se acomodam a qualquer formato, utilizando materiais sustentáveis e economicamente viáveis para a confecção de embalagens para a indústria de alimentos e a agricultura. “Para a criação dos filmes foram feitos testes com diversos polissacarídeos com o objetivo de escolher os dois melhores para uni-los e criar uma matriz reforçada, que chamamos de bioblenda”, esclarece.

Bioblenda é a mistura física homogênea de duas ou mais espécies diferentes de polímeros para obter resultados melhores e mais sustentáveis. Para isso, foram testados amidos de arroz, mandioca, batata, milho e hidroxipropilmetilcelulose (HPMC), polímero usado para formulação de cápsulas com alta velocidade de hidratação. As análises abrangeram, entre outras, as propriedades morfológicas e físico-químicas e, por ter apresentado os melhores resultados, foram escolhidos o amido de arroz e o HPMC. Os filmes desses dois componentes apresentaram propriedades 15% e 18% mais plastificantes, respectivamente.

Sustentabilidade

A utilização dos plásticos convencionais, que são polímeros derivados do petróleo, tem causado efeitos devastadores no meio ambiente, afetando toda fauna e flora, principalmente por levar anos para se decompor. “Criar um produto para substituição de tais materiais é algo de extrema importância. Na minha opinião, isso foi o que fez com que conseguíssemos alcançar o 1º lugar, pois as bioblendas criadas são materiais rentáveis economicamente, inovadores e o principal: biodegradáveis”, avalia Larissa.

Mesmo depois da premiação da apresentação da pesquisa "Produção e caracterização de filmes biodegradáveis a partir de polissacarídos para aplicações em bioblendas" na Semana C&T, as pesquisas continuam. O objetivo agora é implantar melhorias nas propriedades mecânicas e de barreira da blenda com a inserção de nanoestruturas. “Aguardo confiante que possamos reproduzir o projeto em escala industrial para ajudar, de alguma forma, a tornar o nosso planeta um lugar melhor para todos”, planeja Larissa.

 

Redação - Secretaria de Comunicação Social / CEFET-MG