LogoUT

Estudantes criam leitor em braille e se classificam para evento internacional

Wed Nov 28 17:39:00 BRST 2018

Um dos projetos vencedores da Mostra Específica de Trabalhos e Aplicações (META), em Belo Horizonte, busca facilitar o processo de leitura das pessoas com deficiência. “BLINDL-E: um leitor braile de texto” foi desenvolvido pelos estudantes de Eletrônica Victor Dias, Gabriel Volpini, Kaique de Jesus e Monaline Chaves, com orientação da professora Rosiane Resende Leite.

O projeto é um leitor digital braile para a população com deficiência visual, composto por um kit open-source (hardware e software livres). Os arquivos de texto a serem lidos ficam guardados na memória do equipamento e cada caractere é exibido sequencialmente. Os usuários podem controlar a passagem do texto através de um botão, permitindo que ele consiga ler corretamente no seu próprio tempo de leitura.

Segundo a professora Rosiane Leite, o trabalho é altamente relevante, “porque procura resolver um problema para os deficientes visuais que é a acessibilidade à leitura digital”. Em seu projeto, os estudantes destacam o avanço dos dispositivos leitores digitais, mas a falta de alternativas de baixo custo para pessoas com cegueira e baixa visão.

Rosiane conta que o projeto surgiu após ter desenvolvido alguns trabalhos de iniciação científica com os estudantes. Eles a procuraram com a ideia de desenvolver o protótipo que acabou se tornando o BLINDL-E. “Eu sou professora de Biologia e tenho pouco conhecimento de eletrônica, porém eu depositei minha confiança neles para o desenvolvimento da ideia e, a partir de então, eu ajudei dentro do que era possível na minha área”. A aposta dos estudantes deu certo: além da premiação na META, o trabalho conquistou o primeiro lugar na Feira Brasileira de Colégios de Aplicação e Escolas Técnicas (FEBRAT), ocorrida em outubro na UFMG. Com a premiação, os estudantes foram credenciados a participar do London International Youth Science Forum (LIYSF, ou Fórum Internacional de Ciência Jovem de Londres em tradução livre), que será realizado em 2019.

Os estudantes do CEFET-MG continuam aprimorando o leitor. Após os estudos iniciais e construção do protótipo, o grupo quer realizar testes do BLINDL-E com pessoas com deficiência e aprimorar o dispositivo, para que ele tenha dimensões menores.

Vaquinha

Para a participação no LIYSF, em Londres, os estudantes criaram uma campanha de arrecadação de fundos, para que todos os integrantes do grupo possam comparecer ao evento. Confira.

Saiba mais sobre o BLINDL-E.
 

Redação – Secretaria de Comunicação Social / CEFET-MG