LogoUT

Pesquisa explora reaproveitamento de substratos do asfalto

Mon Apr 10 10:19:00 BRT 2017
Após fresagem (raspagem) do asfalto, substratos passam por reciclagem e podem originar novos materiais Após fresagem (raspagem) do asfalto, substratos passam por reciclagem e podem originar novos materiais

Os estudos desenvolvidos no CEFET-MG têm gerado novas técnicas de reciclagem de material asfáltico; pisos e ladrilhos são produzidos com o que seria descartado na natureza

 

Se você transita em rodovias, já deve ter notado que, durante a manutenção, é realizado um processo de fresagem (raspagem) da superfície do asfalto para retirada de material envelhecido, que dará lugar a uma nova camada asfáltica. Mas já parou para pensar que esses substratos não são renováveis e podem ser descartados na natureza?

Para tornar esse processo mais viável econômica e ambientalmente, o CEFET-MG conta com o “Asphaltus – grupo de pesquisa para pavimentos sustentáveis”, ligado ao programa de pós-graduação em Engenharia de Materiais e que desenvolve estudos na área há cerca de 10 anos.

De acordo com o coordenador do grupo, prof. Flávio Padula, as pesquisas têm contribuído para o entendimento e avanço de técnicas que aumentam a eficácia do processo de reciclagem a quente de Concreto Asfáltico Fresado (CAF) e incorporação de outros tipos de resíduos em materiais para construção e manutenção de pavimentos asfálticos.

O Concreto Asfáltico Fresado (CAF) é o material envelhecido removido da superfície de pavimentos das estradas, através do processo de fresagem, durante o procedimento de manutenção da via. Composto por agregados pétreos (areia e pedra britada) envoltos por asfalto, a tecnologia de reciclagem a quente de misturas asfálticas, em usina, é bastante difundida e utilizada em diversos países, como Estados Unidos, Suécia, Dinamarca, Holanda e Japão. Segundo estudo divulgado em 2016 pela Associação de Pavimentos Asfálticos dos Estados Unidos (NAPA), em 2010, foram preservados 20,5 milhões de barris de ligantes asfálticos devido à reciclagem a quente de misturas asfálticas nos Estados Unidos. Isso equivale a uma economia de R$8,5 bilhões em valores atuais.

No Brasil, a pavimentação sustentável ainda não é muito explorada, mas já há casos de sucesso. A rodovia dos Bandeirantes, por exemplo, que liga a região de Campinas à Capital, São Paulo, utiliza o pavimento de asfalto reciclado e o trecho já foi eleito o melhor do país pelo Guia Quatro Rodas, ou seja, além da viabilidade econômica e ambiental, a qualidade do produto reaproveitado também chama a atenção.

O grupo de pesquisas “Asphaltus” do CEFET-MG, ao explorar o reaproveitamento de substratos do asfalto, também tem buscado por rejuvenescedores e polímeros que possam reestabelecer e melhorar características do ligante asfáltico envelhecido presente no CAF, e também por técnicas de processamento adequadas para a reciclagem. Além disso, o grupo também deu origem a trabalhos inéditos, como uma pesquisa sobre a adequação da reciclagem a quente de 100% de CAF para a produção de ladrilhos para pisos e revestimentos.

Segundo o prof. Flávio, a atividade de pesquisa, além de importante para a sociedade, também contribui para o desenvolvimento pessoal e profissional dos estudantes. “A participação de alunos em grupos de pesquisa é de extrema importância para o desenvolvimento crítico e criativo do estudante, características fundamentais para o enfrentamento de desafios da carreira profissional. Além disso, pode contribuir para o despertar do desejo do estudante de seguir carreira acadêmica ou de cientista”, complementa.

Atualmente, o grupo conta com três professores pesquisadores e quatro estudantes de Mestrado. O “Asphaltus” é aberto à participação de novos pesquisadores que possam contribuir com os estudos empreendidos, para participar basta enviar um e-mail para o coordenador do projeto: padula@civil.cefetmg.br. Os encontros dos participantes acontecem quinzenalmente.

 

Secretaria de Comunicação Social/CEFET-MG

  • imprimir
  • e-mail
  • Compartilhe:
  • 1908
  • Visualizações: